Ordem dos Enfermeiros quer regresso de enfermeiros portugueses

Entre 2010 e 2015, saíram de Portugal cerca de 13 mil enfermeiros. A precariedade dos vínculos de trabalho, a deterioração das condições de trabalho e os baixos salários impulsionam, cada vez mais, a saída destes profissionais de saúde para o estrangeiro. Se antigamente emigravam apenas jovens enfermeiros, hoje em dia, esta realidade está presente em todas as faixas etárias da classe de Enfermagem.

A Ordem dos Enfermeiros está atenta a este fenómeno, o qual retira ao Sistema Nacional de Saúde profissionais altamente qualificados e extremamente necessários e, nesse sentido, é parceira do Alto Comissariado das Migrações no desenvolvimento desta Plataforma de Mobilidade Profissional Global.

Segundo a Vice-presidente da OE e responsável política pelas Relações Internacionais, Graça Silveira Machado, esta plataforma tem como objectivo «agilizar alguns dos procedimentos necessários ao regresso» destes enfermeiros, nomeadamente «a divulgação dos concursos abertos por unidades de saúde nacionais».